domingo, 29 de dezembro de 2013

Quase choro...

Antigamente, todas as terças-feiras, por volta das 7 da noite, os sons daquela música chegavam, discretamente, até nossa casa. Pandeiro, violão, tamborim, cavaquinho, violino... Uma reunião de componentes de um aposentado clube de choro. Era fácil ouvi-los mesmo da cozinha ou da varanda, mas, para nosso perfeito deleite, pegávamos duas cadeiras e íamos nos sentar sob o limoeiro, bem do lado do muro. Em silêncio, de mãos dadas, olhando para nosso teto estrelado, participávamos, furtivamente, daqueles serões, do lindo chorinho daqueles velhos chorões.

Quero ir,
sem ter pra onde.
Só não quero ficar aqui.
Mesmo sem ter para onde,
quero ir.

Estou no pátio da biblioteca neste último domingo do ano cristão de 2013. Estou aqui desde as 6. A casa não me prende, os livros me chamam. Vi as luzes da cidade, uma a uma, serem apagadas e o sol não veio e resolvo, sob fina chuva, eu também, fazer minha listazinha de desejos para 2014, que aqui vai. Algumas coisinhas básicas eu peço e coloco nas mãos de Deus (saúde, paz, harmonia, perdão). Bem prosaicamente: quero parar de fumar. Que a palavra não me falte, mesmo ruim como sempre, e também não me falte a vontade de corrigi-la, corrigi-la e corrigi-la tantas e quantas vezes o dever pedir. Não quero cometer o mesmo erro de novo. Desejo ardentemente aprender a ouvir e ver sempre mais e melhor. Pela primeira de três vezes desejo a todos e a todas um FELIZ ANO NOVO. 



7 comentários:

  1. Feliz Año Nuevo con cariño.- Besicos.

    ResponderExcluir
  2. Me ha encantado el Video de Brejeiro (Ernesto Nazareth...¡¡¡Muy bueno!!!
    Preciosa Música para oírla donde Tu dices.
    ¡¡¡Gracias, siempre, por estar ahí, visitando mi blog y haciendo tan cariñosos comentarios.
    Es un Placer, siempre, visitar Tu Mágico y Fascinante Espacio.
    Abraços.

    ResponderExcluir

  3. Dois mundos, dois tempos, que se entrelaçam, que se perfazem e que não poderiam existir um sem o outro.
    Eu também queria, prosaicamente deixar e depois, depois ter as coisas básicas:

    « Que a palavra não me falte, mesmo ruim como sempre, e também não me falte a vontade de corrigi-la, corrigi-la e corrigi-la tantas e quantas vezes o dever pedir. Não quero cometer o mesmo erro de novo. Desejo ardentemente aprender a ouvir e ver sempre mais e melhor. », para as que a « saúde, paz, harmonia, perdão » possam deixar de ser mesmo básicas.

    Feliz 2014, Gilson ***

    Beijinho

    ResponderExcluir
  4. Estimado amigo de Brasil, muchas felicidades en estas Fiestas y un buen y venturos año 2014.
    Un fuerte abrazo

    ResponderExcluir
  5. Olá, meu querido amigo! Li seu texto inspirado e belo! Quantas imagens e quantos lindos e "possíveis" desejos! Obrigada por ter lhe "conhecido"! Obrigada por sua amizade mesmo virtual! Obrigada por não esquecer de mim, ainda distante, ausente nas visitas, mas não esqueço de você! FELIZ ANO NOVO!!! QUE MUITAS COISAS BOAS ACONTEÇAM EM SUA VIDA! QUE VENHAM DO ALTO BÊNÇÃOS EM ABUNDÂNCIA SOBRE TI, SEUS FAMILIARES E AMIGOS! Beijos, ternura e sorrisos, Gilson!

    ResponderExcluir
  6. Dizia minha mãe, em sua sabedoria, "Querer é poder". Portanto, meu amigo, tudo aquilo que você formulou como desejo já é realidade, ao menos em seu pensamento. Basta apenas passar da dimensão do desejo para a dimensão do real. Boas festas, Feliz 2014, e que seus desejos se tornem a sua realidade. Abraços carinhosos.

    ResponderExcluir
  7. Que seus sonhos para 2014 se tornem realidade para a vida. Feliz Ano Novo!!!

    ResponderExcluir